quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Chico Mendes

Anistia
A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça aprovará, em Rio Branco, a condição de anistiado político post-mortem do líder seringueiro Chico Mendes, segundo O Globo. O pedido foi protocolado pela viúva Ilzamar Mendes, em 2005. A família terá direito a receber indenização pelo fato de ele ter sido perseguido pela ditadura. O julgamento faz parte do projeto Caravana da Anistia, que analisa casos de figuras conhecidas da política nos estados. “A anistia a Chico Mendes perseguido na ditadura e na democracia, recompõe a imagem do Brasil perante os olhos do mundo ao conceder, mesmo que 20 anos depois, esta justa indenização”, disse Paulo Abrão, presidente da Comissão de Anistia.

Um comentário:

Otavio Di Mello disse...

Gostaria de saber qual foi o advogado bom dela.
Afinal Mercedes da Silva Mello protocolou pedido em 08/12/2004 pelo marido perseguido e anistiado que serviu 11 anos de exército e foi excluído e considerado como morto e até hoje nada.
País injusto não sei se vale a pena lutar pelo nosso país.
Vejam no blog http:www.octaviomello.blogspot.com